Rede dos Conselhos de Medicina
Selecione o Conselho que deseja acessar:
Fiscalização: CFM uniformizou método no Brasil Imprimir E-mail
Qui, 16 de Novembro de 2017 14:59

A Resolução nº 2.056, aprovada em 2013 pelo Conselho Federal de Medicina (CFM), foi a primeira a sistematizar e uniformizar as regras de fiscalização aplicadas pelos Conselhos Regionais de Medicina (CRMs).

O normativo estabeleceu critérios mínimos para o funcionamento de consultórios e Unidades Básicas de Saúde (UBS). Até então, cada CRM tinha seus próprios parâmetros, passando, desde então, a seguir o Manual do CFM.

A fiscalização também foi informatizada, permitindo o armazenamento de todas as informações em um único banco de dados. "Hoje é possível saber quais os equipamentos existentes em uma UBS que tenha recebido a visita de uma fiscal do CRM de Alagoas, por exemplo", afirma Emmanuel Fortes, diretor de Fiscalização do CFM.

Após a entrada em vigor da Resolução nº 2.056/13, o CFM passou a trabalhar na elaboração do roteiro para fiscalizações em hospitais – publicado na Resolução CFM nº 2.153/16. "Realizamos um trabalho exaustivo. Os hospitais são estruturas complexas, com várias unidades funcionando de forma interligada. Tivemos de ser bastante minuciosos", explicou Fortes.

Com a aprovação da norma que atualiza o manual, o Conselho Federal coordenou, junto aos CRMs, fiscalizações-piloto em hospitais com características diferentes além de verificar a aplicabilidade do manual e realizar adequações. "Fizemos ajustes nos como forma de atender o que tinha sido pensado à realidade encontrada nos hospitais", explica Eurípedes Souza, membro da Comissão de Fiscalização do CFM.

O projeto-piloto contemplou as cinco regiões brasileiras. Foram realizadas visitas nos seguintes hospitais: Unimed, em Roraima; Hospital de Urgência Governador Otávio Lage de Siqueira, Clínica Psiquiátrica e Instituto de Neurociências – todos em Goiás; Hospital das Clínicas da UFMG, em Minas Gerais; Complexo Hospitalar de Mangabeira Tarcísio Burity, Hospital Napoleão Laureano e Nova Diagnóstica por Imagem – os três na Paraíba. No Distrito Federal, os fiscais foram ao Hospital Regional da Asa Norte; em São Paulo, no Hospital Israelita Albert Einstein; e, no Rio Grande do Sul, ao Hospital Psiquiátrico São Pedro, além de uma unidade CAPS III AD.

"A escolha de unidades com perfis diversificados foi importante para que fosse atingido o objetivo de testar o instrumento com relação à linguagem e aos termos utilizados", disse Fortes.

Saiba mais:

CFM publica roteiro para vistoriar hospitais

Manual de Vistoria considera nível de complexidade

Consultórios têm nova divisão com exigências distintas

Segurança norteia maior detalhamento nas fiscalizações

 

 

 
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner

© PORTAL MÉDICO 2010 - o site do Conselho Federal de Medicina -Todos os direitos reservados
SGAS 915 Lote 72 | CEP: 70390-150 | Brasí­lia-DF | FONE: (61) 3445 5900 | FAX: (61) 3346 0231| E-mail: cfm@portalmedico.org.br | CNPJ: 33.583.550/0001-30