Diretoria do CFM discute situação da saúde do Acre com o governador do Estado Imprimir
Qui, 06 de Abril de 2017 14:26

 Os representantes do CFM e CRM-AC foram recebidos pelo governador  Tião Viana, e discutiram os desafios do atendimento de saúde no estado.

 

A situação da saúde no Acre, com a apresentação de desafios e conquistas, foi o tema de uma reunião na sede do Governo do Estado, em Rio Branco (AC). Na oportunidade, uma comissão liderada pelo presidente do Conselho Federal de Medicina (CFM), Carlos Vital, debateu o assunto com o governador Tião Viana. O grupo incluiu ainda diretores e conselheiros da autarquia, além do presidente do Conselho Regional de Medicina, Virgílio Batista do Prado.
 
Tião Viana, que é médico infectologista, apresentou aos conselheiros do CFM e do CRM-AC algumas das ações que têm sido desenvolvidas pelo governo local no âmbito da saúde pública. Entre as preocupações expressas, está a qualificação da rede de atendimento, com a ampliação do acesso da população aos serviços de média e alta complexidade, e a instalação de saneamento básico nos municípios menores.
 
O governador também relatou preocupação com o desenvolvimento de uma linha de trabalho voltada para as comunidades indígenas. “Temos um projeto de políticas para com os povos indígenas, mesmo sendo essa uma responsabilidade federal. Investimos mais de R$ 50 milhões nesses povos, com a construção de mais de 70 escolas, além de reforçar a saúde e fomentar a produção na agricultura e criação de animais”, contou.
 
Durante o encontro, também foram abordadas questões como a elaboração de um novo Plano de Cargos, Carreiras e Remuneração (PCCR) para os médicos e a importância de o Governo do Estado ajudar na solução dos problemas apontados pelas fiscalizações feitas pelo CRM-AC em postos de saúde e hospitais. O pedido foi feito pelo conselheiro Virgílio Prado.
 
Após acompanhar a exposição feita pelo governador Tião Viana, o presidente do CFM afirmou que os relatos de avanços refletem um trabalho preocupado em inserir a saúde como parte de um projeto de desenvolvimento sustentável para a região. Carlos Vital disse ainda que os Conselhos Federal e Regional de Medicina estão prontos a contribuir com esse esforço, por meio de suas ações e envio de subsídios.