Especialistas brasileiros e estrangeiros discutirão as últimas novidades em hanseníase

De 28 a 30 de novembro, a Sociedade Brasileira de Hansenologia (SBH), entidade que trabalha no combate e educação sobre hanseníase desde 1948, realiza a 9ª edição do Simpósio Brasileiro de Hansenologia. O evento acontecerá em São Luís do Maranhão e receberá especialistas e estudiosos de várias áreas para tratarem das novidades sobre o tema. O Brasil ocupa o segundo lugar no ranking mundial da doença – atrás da Índia – com aproximadamente 30 mil casos/ano e alto índice de crianças menores de 15 anos doentes – a hanseníase fica incubada por 8 a 10 anos e é responsável por sequelas que vão do comprometimento dos nervos à cegueira.

O Simpósio vai debater ações para diagnóstico precoce da hanseníase realizadas no passado, na atualidade e quais as perspectivas de mudanças para capacitar e atualizar profissionais da atenção básica e serviços de referência visando ao reconhecimento rápido e do maior número dos casos precoces da hanseníase.

No dia 28, o simpósio trará na abertura a mesa-redonda com o tema “Situação epidemiológica da hanseníase no Brasil: o que fizemos, fazemos e faremos?”. E segue com as mesas-redondas: “Hanseníase no Brasil nos anos 1990: o que avançamos?”, “Hanseníase no Brasil na primeira década do século XXI e as metas globais”, “Situação epidemiológica da hanseníase nos últimos cinco anos no Brasil”, “Hanseníase em um estado hiperendêmico (Pará) – uma análise crítica de seus indicadores e sinalizadores”, “Hanseníase em um estado não endêmico (São Paulo)”. No mesmo dia, serão apresentados os temas “Filantropia e assistência às famílias atingidas pela hanseníase em Goiás”, “Leprosário São Roque (Piraquara, Paraná): espaço arquitetônico, espaço científico”, “Hanseníase na população portadora de HIV”, “Hanseníase em crianças”.

No dia 29, haverá mesas-redondas com os temas “Tecnologias e ações inovadoras aplicadas ao diagnóstico da hanseníase”, “Estratégia para diagnóstico precoce em contatos de hanseníase por meio da eletroneuromiografia e biópsia de nervo periférico”, “Diagnóstico precoce da hanseníase: velhas ferramentas e interpretações inovadoras”, “Diagnóstico de hanseníase baseado em sintomas – como torna-lo quantificável?”, dentre outros.

No dia 30, serão apresentados os dez melhores trabalhos, frutos de pesquisas brasileiras, submetidos ao simpósio, haverá a conferência “Ecos do Congresso Mundial de Hansenologia – Pequim 2016” e os cursos “Úlcera e cicatrização”, “Educação em Saúde e Reabilitação cirúrgica – com discussão de casos”, além de curso específico para agentes comunitários de saúde.

Alerta – Quanto à taxa de prevalência (o número de doentes em tratamento para hanseníase em cada 10.000 habitantes), a Organização Mundial da Saúde preconiza 1 caso para 10 mil habitantes para dizer se a doença deixa de ser um problema em saúde em uma determinada região. O Brasil tinha um coeficiente nacional de 1,27 casos para 10 mil habitantes em 2014, quedando para 1,01 em 2015; ou seja, quase alcançando a meta. Porém, o presidente da SBH, Marco Andrey Cipriani Frade, lembra que a hanseníase apresenta praticamente o mesmo número de casos novos por ano que HIV/AIDS, cerca de 30 mil, e alerta para a heterogeneidade dos números nas regiões do país: estados como Roraima, Pará, Mato Grosso do Sul, Maranhão e Tocantins têm índices maiores que o dobro da média nacional e o Mato Grosso alcança 10,19 (aproximadamente 10 vezes a taxa brasileira). Em 2015, o Brasil foi responsável por aproximadamente 90% dos casos de hanseníase nas Américas.

Sobre a SBH – A Sociedade Brasileira de Hansenologia foi fundada em 1948. É a realizadora do Congresso Brasileiro de Hansenologia (realizado a cada três anos) e do Simpósio Brasileiro (que acontece por dois anos seguidos, intercalando o congresso). São os maiores eventos no país que tratam especificamente do tema e atendem a uma rede de profissionais da saúde. A SBH é a responsável pela aplicação da prova teórico-prática para obtenção do certificado de área de atuação em hansenologia para médicos. As provas são realizadas a cada três anos, durante o congresso da entidade. A SBH realiza busca ativa de casos e ações de treinamento/atualização de profissionais de saúde gratuitamente em todo o Brasil.

 

Agenda
9° Simpósio Brasileiro de Hansenologia
Data: 28 a 30/11/2016
Realização: Sociedade Brasileira de Hansenologia
Local: Centro Pedagógico Paulo Freire – Universidade Federal do Maranhão/Cidade Universitária – São Luís do Maranhão
Endereço: Av. dos Portugueses 1966, Baganga
Informações e inscrições: www.oxfordeventos.com.br/hansenologia2016/index.php

 

Fonte: SBH

Aviso de Privacidade
Nós usamos cookies para melhorar sua experiência de navegação no portal. Ao utilizar o Portal Médico, você concorda com a política de monitoramento de cookies. Para ter mais informações sobre como isso é feito, acesse Política de cookies. Se você concorda, clique em ACEITO.