995 médicos iniciam nesta quinta, dia 1º, em Campinas, prova para obtenção do título de Ortopedista

 

A Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia – SBOT dá início nesta quinta-feira, dia 1º, no Royal Palm Plaza Resort, de Campinas, interior de São Paulo, ao 47º exame para que os médicos obtenham o direito ao título de Ortopedista.

 “Temos 995 inscritos, cujo conhecimento e aptidão serão avaliados durante três dias em cinco provas acompanhadas por 450 examinadores, presentes ainda por 150 observadores que se preparam para serem examinadores nos anos vindouros”, explica o presidente da Comissão de Ensino e Treinamento da SBOT, Jean Klay Santos Machado, que dirige o processo.
Jean Klay se orgulha da prova, chamada de TEOT, que é considerada uma das mais completas do campo da Medicina e que serviu de modelo para provas de outras sociedades de especialidade. “O exame tem que ter critérios muito rigorosos”, diz ele, pois quando alguém entra num consultório de um Ortopedista Titular da SBOT, “vê um profissional que foi aprovado em um Exame reconhecidamente sério, sendo a garantia que nossa Sociedade dá ao paciente de que o médico está capacitado e tem o conhecimento para atender adequadamente e com a alto nível ético esperado”.
 
As cinco provasPara se candidatar à prova existem alguns pré requisitos, sendo que a maioria dos médicos fez o curso de especialização/residência médica, pelo período de três anos, em um dos 171 serviços de Ortopedia credenciados e fiscalizados pela SBOT e precisa apresentar um trabalho científico original. O candidato se submete a uma prova de múltipla escolha, eliminatória, com 100 questões e, se tirar nota suficiente, passa para a prova oral de casos clínicos, na qual é arguido sobre 16 casos clínicos diferentes recebendo uma radiografia, por exemplo, que precisa interpretar e diagnosticar o problema do paciente.

Segue-se a prova de exame físico e atitudes, que cobra questões relacionadas ao exame clínico dos pacientes, além de simular situações difíceis do dia a dia, analisando-se as perguntas que faz, a empatia e o respeito demonstrado e as informações que dá. Na sequência é realizada a ‘Prova de Habilidades’, na qual o examinado comprova que sabe fazer o planejamento de uma cirurgia e executar os procedimentos necessários, simulados em modelos ósseos. Este ano ainda haverá uma prova extra, um projeto-piloto de prova de Anatomia.

O TEOT é importante não só para os candidatos, mas igualmente para os serviços que cuidaram de seu treinamento, explica a presidente da SBOT, Patrícia de Moraes Barros Fucs, pois se determinado serviço não conseguir aprovar pelo menos 50% dos candidatos que treinou, recebe uma notificação e se o fato se repetir, será descredenciado. Isso porém não costuma acontecer, pois os serviços credenciados aprovam, na média, 86% dos médicos que se submetem ao TEOT.

Jean Klay explica que como garantia de que o exame segue o rigor desejado e é realizado de acordo com regras acuradas, o próprio exame foi analisado por um  grupo de professores que também realiza a avaliação da Faculdade de Medicina da USP. No caso do TEOT, a análise leva em conta cerca 160.000 notas que são emitidas durante todo o exame.

 

Fonte: SBOT

Aviso de Privacidade
Nós usamos cookies para melhorar sua experiência de navegação no portal. Ao utilizar o Portal Médico, você concorda com a política de monitoramento de cookies. Para ter mais informações sobre como isso é feito, acesse Política de cookies. Se você concorda, clique em ACEITO.