Acesse aqui a publicaçãoPublicação comemora a consolidação de sua trimestralidade e ascensão na classificação Qualis Capes

A Revista Bioética, periódico científico idealizado pelo Conselho Federal de Medicina, conquistou mais um progresso no conceito da publicação junto à Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) quanto à classificação de periódicos do período 2013-2016. Em comparação com a avaliação anterior (triênio 2010-2012), a Revista Bioética registrou melhoria ou passou a ser avaliada em novas áreas do conhecimento, como Educação e Psicologia.

A Capes, órgão vinculado ao Ministério da Educação, avalia e investe na formação em nível superior, além de manter um sistema de avaliação de periódicos. A instituição relaciona e classifica os veículos utilizados para a divulgação da produção intelectual dos programas de pós-graduação do tipo “stricto sensu” (mestrado e doutorado) quanto ao âmbito da circulação (local, nacional ou internacional) e à qualidade (A, B, C), por área de avaliação. O editor-geral da Revista, Sidnei Ferreira, destaca a importância dessa conquista para a bioética brasileira. “Este reconhecimento envolve todos aqueles que lutam por ética, justiça social e saúde, por meio da reflexão bioética. A quantidade e qualidade dos artigos de atualização e pesquisa publicados refletem as preocupações de alunos, professores, pesquisadores, corpo editorial e editores em relação ao tema”, avalia.

Há um ano o periódico foi reformulado e se tornou trimestral. Após a manutenção dessa periodicidade, a Revista voltou a publicar 20 artigos. Os avanços são considerados pela editoria da publicação como fundamentais para o crescimento e visibilidade da Bioética no cenário acadêmico brasileiro, colaborando para a concretização do periódico publicado pelo CFM no campo do saber.

Conceito de qualidade – Conheça abaixo os conceitos obtidos pela Revista Bioética junto à Capes em cada uma das áreas:

 

Área de avaliação  Classificação  
   Triênio 2010-2012
Quadriênio 2013-2016
 
 Biotecnologia  C  B4
Ciências da Religião e Teologia 
 B5 B2
 Enfermagem (impresso)  B3 B2
Enfermagem (online) B3 B2

Filosofia (impresso)

C B1

Filosofia (online)

B3 B1
Interdisciplinar (impresso) B2 B1
Interdisciplinar (online) B3 B1
Medicina II (impresso) B5 B4
Medicina II (online) B4
Psicologia (impresso) B3 B1
Psicologia (online) B1
Saúde Coletiva (impresso) B4 B2
Saúde Coletiva (online) B4 B2
Sociologia (online) B5 B1
Educação B1
Administração Pública e de Empresas, Ciências Contábeis e Turismo B2
Medicina Veterinária B5

 

 Importância da publicação – a melhoria nas áreas de Ciências da Religião e Teologia; Enfermagem; Filosofia; Interdisciplinar; Psicologia; Saúde Coletiva; Sociologia reforça o papel do periódico na reflexão multidisciplinar inerente ao campo da Bioética. Também merece destaque a primeira classificação na área de Educação (B1), diretamente relacionada à distribuição da versão impressa do periódico às bibliotecas das instituições de ensino superior e à sua utilização em sala de aula nos cursos de graduação e pós-graduação.

A Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), fundação do Ministério da Educação (MEC), desempenha papel fundamental na expansão e consolidação da pós-graduação stricto sensu (mestrado e doutorado) em todos os estados da Federação. Qualis é um conjunto de procedimentos utilizados pela Capes para estratificação da qualidade da produção intelectual dos programas de pós-graduação. O processo é baseado nas informações fornecidas por meio do módulo Coleta de Dados da Plataforma Sucupira. A plataforma permite a classificação e consulta ao Qualis das áreas, bem como a divulgação dos critérios utilizados para a classificação de periódicos. A estratificação das publicações é realizada de forma indireta.

O Qualis verifica a qualidade dos artigos e de outros tipos de produção, a partir da análise das revistas científicas. A classificação de periódicos passa por processos anuais de atualização e o bom desempenho em um período não garante – necessariamente – a permanência naquele patamar de avaliação no ano subsequente. É preciso atenção ininterrupta para manter o bom desempenho. Os veículos são enquadrados em estratos indicativos da qualidade, de A1 a C, sendo que o intervalo entre B2 e A1 é considerado superior.

Aviso de Privacidade
Nós usamos cookies para melhorar sua experiência de navegação no portal. Ao utilizar o Portal Médico, você concorda com a política de monitoramento de cookies. Para ter mais informações sobre como isso é feito, acesse Política de cookies. Se você concorda, clique em ACEITO.