O Conselho Federal de Medicina (CFM) recebeu na tarde desta quinta-feira (16), no plenário da entidade, o deputado federal e oftalmologista Hiran Gonçalves (PP/RR), que falou sobre a importância de as entidades médicas participarem da vida parlamentar no Congresso Nacional. Segundo o Gonçalves, tramitam hoje na Câmara 244 projetos de lei que interessam a categoria diretamente. Entre esses projetos, estão o que cria a carreira de Estado para o médico do SUS e o que regulamenta a atividade de acupunturista. “Sou um militante da causa médica”, afirmou o deputado. O presidente do CFM, Carlos Vital, agradeceu o empenho do deputado e colocou a entidade à disposição para a defesa da medicina e da saúde.

Durante a reunião, conselheiros falaram sobre ações que afetam a atividade médica, como o aumento desenfreado de escolas médicas, a ocupação por cubanos das vagas criadas no programa Mais Médicos e a criação dos planos de saúde populares. Também sugeriram ações, como a edição de um decreto presidencial que trata da morte encefálica e mudanças no Fundo de Financiamento Estudantil (Fies).

“O aumento desenfreado das escolas médicas se deu graças ao financiamento fácil, que precisa ser repensado. Estamos usando dinheiro público para financiar algumas escolas de qualidade duvidosa, que formam médicos sem capacidade de resolubilidade”, afirmou Carlos Vital.

Ao final da reunião, Hiran Gonçalves colocou seu mandato à disposição do CFM e incentivou a eleição de mais parlamentares afinados com a causa médica. “Somos cinco senadores e 39 deputados, mas precisamos aumentar esse número, pois a aprovação de qualquer projeto requer muitas negociações”, explicou.

A apresentação feita pelo deputado Hiran Gonçalves pode ser acessada aqui.

Aviso de Privacidade
Nós usamos cookies para melhorar sua experiência de navegação no portal. Ao utilizar o Portal Médico, você concorda com a política de monitoramento de cookies. Para ter mais informações sobre como isso é feito, acesse Política de cookies. Se você concorda, clique em ACEITO.