Na reunião, os representantes das entidades médicas definiram que que a Associação Médica Brasileira (AMB) receberá as contribuições das instituições para aperfeiçoamento da norma

 

Em encontro que durou quase quatro horas, representantes do Conselho Federal de Medicina (CFM) e de 42 entidades médicas (sociedades de especialidades e de associações médicas) discutiram pontos da Resolução nº 2.227/2018, que trata da regulamentação da prática da telemedicina no País. Ao final, ficou acordado que a Associação Médica Brasileira (AMB) receberá contribuições das diferentes instituições para o aperfeiçoamento da norma, as quais serão consolidadas em relatório que será repassado ao CFM.
 
Ainda durante a reunião do Comitê Científico da AMB, em São Paulo (SP), realizada na terça-feira (19), os representantes das sociedades e associações pediram aumento de prazo para discutir o tema e preparar suas propostas. Ficou acertado que esse trabalho tomará o tempo necessário para sua conclusão.  
 
Na oportunidade, o CFM mostrou detalhes de como foi o processo de discussão, elaboração e aprovação da norma, inclusive pontuando os espaços de debate para os quais as entidades foram convidadas. Também foram apresentados os 23 artigos do documento, explicando-se os motivos de sua inclusão no texto.  
 
A maioria dos representantes das entidades que compõem o Conselho Científico da AMB concordou com a necessidade de se atualizar a regulamentação da telemedicina. Porém, as sociedades e associações médicas entendem que há pontos que precisam de melhor esclarecimento.

Aviso de Privacidade
Nós usamos cookies para melhorar sua experiência de navegação no portal. Ao utilizar o Portal Médico, você concorda com a política de monitoramento de cookies. Para ter mais informações sobre como isso é feito, acesse Política de cookies. Se você concorda, clique em ACEITO.