Os problemas que atingem a classe médica, como a abertura indiscriminada de escolas de medicina, a revalidação de diplomas estrangeiros e a defesa do ato médico serão alguns dos temas em discussão no I Encontro Nacional dos Conselhos de Medicina de 2020 (I ENCM 2020). O evento será realizado nos dias 1º e 2 de abril, em Cuiabá (MT).
A realização do encontro vem sendo planejada em comissão composta pelo 2º vice-presidente do CFM, Alexandre Rodrigues, pela 2ª secretária, Tatiana Bragança Giustina, e pelo 1º vice-presidente, Donizetti Giamberardino Filho, que coordena os trabalhos.
A abertura do I ENCM 2020 será marcada por uma homenagem póstuma ao ex-corregedor do CFM José Fernando Maia Vinagre, conselheiro cuiabano falecido em maio de 2019, que representava o estado na autarquia e foi responsável pela corregedoria durante uma década. A escolha de Mato Grosso para sediar o evento também é uma forma de homenageá-lo.
Programação – A primeira conferência do encontro abordará o processo de revalidação de diploma de médico graduado no exterior. “Temos cerca de 60 mil brasileiros cursando medicina fora do Brasil. Para atuarem, eles devem revalidar o diploma, e essa é uma preocupação. Não temos como saber a qualidade dos cursos que frequentaram. Já temos o problema da baixa qualidade das faculdades no Brasil e, com certeza, temos escolas médicas sem a devida estrutura em outros países. Tudo isso atinge a segurança da sociedade, o que nos preocupa”, pontua Giamberardino.
O I ENCM 2020 terá também a mesa de debates sobre a abertura de escolas médicas no Brasil, quando será discutida a portaria do Ministério da Educação (MEC) que suspendeu a criação de novos cursos de medicina no país. Assinada em 2018, pelo então ministro Mendonça Filho, a norma proibiu o lançamento de editais por cinco anos e a ampliação de vagas em cursos já existentes.
Além do ensino, as tentativas de invasão do ato médico por outras categorias profissionais também serão pautadas no debate. “Cada profissão tem a sua lei, suas competências, e há profissões extrapolando os limites legais e colocando a população em risco”, alerta Giamberardino.
Tantas situações adversas têm afetado o bem-estar físico e psíquico de médicos e estudantes de medicina. De acordo com a Associação Nacional de Medicina do Trabalho, a medicina é uma das atividades que oferece maior risco de adoecimento mental, e esse será o tema da mesa de encerramento do I ENCM 2020.
Psiquiatras e conselheiros debaterão preocupações como a síndrome de Burnout e abuso de álcool e drogas, além dos casos de suicídio entre médicos. Para saber mais sobre o I ENCM 2020, acompanhe o site: www.eventos.cfm.org.br
 
Aviso de Privacidade
Nós usamos cookies para melhorar sua experiência de navegação no portal. Ao utilizar o Portal Médico, você concorda com a política de monitoramento de cookies. Para ter mais informações sobre como isso é feito, acesse Política de cookies. Se você concorda, clique em ACEITO.