altO presidente e o tesoureiro do Conselho Federal de Medicina (CFM), Carlos Vital e José Hiran Gallo, foram homenageados pelo governo do Acre com o recebimento da insígnia da Ordem da Estrela do Acre, no grau de comendador. A comenda foi entregue, na manhã dessa segunda-feira (4) pelo governador acreano, Tião Viana, Grão-Mestre da Ordem da Estrela do Acre. Para o governador, a entrega das insígnias representa o reconhecimento de valores para a medicina e para a sociedade acreana e brasileira. “Essas homenagens têm responsabilidade para nós em valorizar as boas referências humanas, que fazem a defesa da vida”, disse. Também foi homenageado o  o diretor do Programa Doutoral em Bioética do CFM e coordenador mundial de bioética da Unesco, professor Rui Nunes, que atua na Universidade do Porto, em Portugal. 

Uma das questões levantadas durante a solenidade foi o estudo da bioética, pois acreanos têm tido a oportunidade de fazer doutorado na área graças a uma parceria entre a Universidade do Porto e o CFM. “A bioética é o estudo da biologia associado à atividade humanística, defesa dos seres e do meio ambiente. O médico hoje é um estudioso da vida, mas também do ambiente. É uma união fantástica produzida pela bioética” afirmou Tião Viana, que também é médico.

 

O presidente do CFM, Carlos Vital, agradeceu a homenagem outorgada e elogiou o governador Tião Viana, que “tem ações meritocráticas no sentido de um desenvolvimento sustentável e na esperança de um futuro melhor”. Para ele, o “Estado investe em infraestrutura, saneamento, educação e saúde pública. Por isso, a homenagem é um estímulo à continuidade do nosso trabalho em contribuições para as causas públicas”.

 

Na gestão de Vital, o CFM criou a Comissão de Integração do Médico de Fronteira, que tem feito importantes debates desde a carreira do profissional em cidades e estados que fazem fronteira com outros países, além de recentemente ter realizado um seminário sobre saúde indígena no Acre.

 

O conselheiro Hiran Gallo, que nasceu no Acre e hoje exerce sua profissão como médico em Rondônia, agradeceu emocionado o ato governamental. “Hoje recebo uma homenagem no estado em que nasci, essa é o maior diploma que já recebi. Aqui, lembrei de toda minha vida, este ato está em meu coração”, afirmou. Gallo falou dos avanços que tem visto no Acre, principalmente na área de infraestrutura e saúde pública. “Eu te admiro muito, Tião Viana, vejo aqui aqui em Rio Branco uma saúde de qualidade. Você e seu irmão quebram o paradigma da política brasileira. Verificamos que aqui se investe na área da saúde pública, principalmente na parte de saneamento básico”, disse. 

 

Já Rui Nunes, que representa tanto a Unesco, quanto a Academia Nacional de Medicina de Portugal, falou que a homenagem se estende não só a ele, mas às equipes do qual faz parte, principalmente ao Programa Doutoral em Bioética, promovido pela Universidade do Porto em parceria com o CFM. “Essa é uma enorme distinção, por estar no Acre, um estado de luta e de progresso. Além de ser um simbolismo fantástico a esse projeto que a Universidade do Porto tem realizado com o Conselho Federal de Medicina, que se traduz na formação de uma sociedade moderna, humanista e que acredita que todas as pessoas são iguais”, disse.

 

A solenidade foi prestigiada ainda pelo presidente do Tribunal de Contas do Estado do Acre, Valmir Ribeiro, pelo presidente do Conselho Regional de Medicina do Acre, Virgilio Batista, e pela conselheira federal pelo Acre do CFM, Dilza Ribeiro.

“O presidente do CFM foi homenageado pelo apoio que a autarquia tem dado à saúde acreana, enquanto José Hiram Gallo e Rui Nunes, pelo trabalho que realizam em prol da bioética”, explicou a conselheira federal pelo Acre, Dilza Terezinha Ribeiro. 
Após participarem da solenidade, os homenageados seguiram para Porto Velho (RO), onde participarão do 1º Encontro Luso-Brasileiro de Bioética, marcado para os dias 6 e 7 de julho. O evento, que terá como tema central “Bioética do século XXI: do indivíduo à coletividade”, discutirá assuntos como as diretivas antecipadas de vontade, os efeitos da crise migratória sobre a saúde, doenças negligenciadas e as consequências da violência sobre pacientes e profissionais.
O decreto com a homenagem foi publicado na edição dessa segunda-feira (4), no Diário Oficial do governo acreano e pode ser acessado aqui. 
 
alt
 
 
Com informações da Agência de Notícias do Acre
Aviso de Privacidade
Nós usamos cookies para melhorar sua experiência de navegação no portal. Ao utilizar o Portal Médico, você concorda com a política de monitoramento de cookies. Para ter mais informações sobre como isso é feito, acesse Política de cookies. Se você concorda, clique em ACEITO.