O Conselho Federal de Medicina (CFM) publicou, nesta quarta-feira (23), esclarecimentos em relação aos dados do Portal da Transparência da autarquia. A nota, divulgada aos médicos e à sociedade, ressalta a forma ética, legal e transparente como a gestão da Autarquia se porta, “repudiando-se veemente o uso de informações de forma isolada e descontextualizada, o que indica má fé e interesse político na manipulação dos dados”.

 

 
NOTA DE ESCLARECIMENTO AOS MÉDICOS E Á SOCIEDADE
 
Com relação à contratação do Dr Roberto Luiz d’Avila, para o cargo de Assessor Especial da Presidência do Conselho Federal de Medicina (CFM), a Autarquia vem a público esclarecer que:
 
1. O referido profissional integra grupo de Assessores Técnicos da Presidência do CFM, contratados na modalidade de Cargo de Livre Provimento (Cargo de Confiança), o qual se encontra amparado no Plano de Cargos e Salários da Autarquia e obedece aos parâmetros estabelecidos para a administração pública; 
 
2. Nesse cargo, Dr Roberto Luiz d’Avila presta serviços ao CFM desde outubro de 2014, cumprindo regularmente suas atividades, comprovadas por meio de relatórios, que incluem a análise de documentos, elaboração de estudos no campo da bioética e da deontologia, além de apoio na formulação de publicações específicas e suporte às atividades de monitoramento, planejamento e engenharia em mídias sociais, dentre outras;
 
3. Como assessor especial da Presidência, cargo aprovado pela diretoria do CFM, ele tem estado à disposição dos interesses da Autarquia, podendo ser acionado a qualquer tempo para a consecução de suas atividades e demandas realizadas; 
 
4. Para ocupar o cargo de Assessor Técnico da Presidência do CFM, o profissional contratado, além de suas atividades regulares, deve estar  disponível para atender às solicitações da Autarquia quando convocado, ficando sob sua responsabilidade as despesas de deslocamento, transporte, hospedagem e alimentação até Brasília, caso esteja fora do Distrito Federal;
 
5. As informações relativas à contratação dos Assessores Técnicos da Presidência são públicas e se encontram disponíveis no Portal da Transparência do CFM, tendo a Autarquia recebido menções elogiosas do Tribunal de Contas da União (TCU), no Acordão nº 2513/2016, que ressalta a transparência com a que a instituição segue as normas e leis dos órgãos de controle e de fiscalização.
 
Os esclarecimentos apresentados pelo CFM aos médicos e à sociedade têm objetivo de ressaltar a forma ética, legal e transparente como a gestão da Autarquia se porta, repudiando-se veemente o uso de informações de forma isolada e descontextualizada, o que indica má fé e interesse político na manipulação dos dados.
 
 
Brasília, 23 de novembro de 2016.
 
CONSELHO FEDERAL DE MEDICINA
Aviso de Privacidade
Nós usamos cookies para melhorar sua experiência de navegação no portal. Ao utilizar o Portal Médico, você concorda com a política de monitoramento de cookies. Para ter mais informações sobre como isso é feito, acesse Política de cookies. Se você concorda, clique em ACEITO.