Antecedendo a data em que se celebra o Dia Internacional das Crianças Desaparecidas, 25 de maio, evento em Mato Grosso debaterá as problemáticas e políticas públicas sobre crianças desaparecidas no país. Estima-se que, a cada dia, três crianças e adolescentes desaparecem no estado. Os pais nunca cessam de procurá-los.
 
Neste ano, quase 150 crianças e adolescentes foram dadas como desaparecidas no Mato Grosso. Somente na capital foram 32 casos em três meses. Os dados foram contabilizados pela Polícia Militar de Mato Grosso. Mas nos últimos dois anos, 1.288 menores desapareceram no estado, sendo que 338 destes desaparecimentos foram registrados somente em Cuiabá.
 
Com base nestes números, o Conselho Federal de Medicina (CFM) quer chamar a atenção da população para esse problema que é nacional. Com apoio do Conselho Regional de Medicina do Estado do Mato Grosso (CRM-MT), o CFM realiza, na quarta-feira, 23 de maio, o Seminário sobre Crianças Desaparecidas. O evento começará às 9h no Auditório do CRM localizado na Rua E, S/Nº Centro Político Administrativo, em Cuiabá. Na ocasião, os participantes serão convidados a debaterem por políticas públicas no setor e a aderirem ao abaixo-assinado em defesa da efetivação do Cadastro Nacional de Crianças e Adolescentes Desaparecidos.
 
De acordo com dados compilados pelo CFM, estima-se que, no mundo, o total de casos de desaparecimento de crianças e adolescentes chega a 25 milhões. “O número de crianças desaparecidas é muito maior do que as pessoas imaginam. No Brasil há uma estimativa de que sumam 50 mil por ano. Por isso é tão importante que os profissionais notifiquem qualquer tipo de alguma situação que possa indicar alguma irregularidade. Defendemos o lugar dos médicos junto à população”, ressaltou o diretor do CFM, José Fernando Vinagre.
 
Para a presidente do CRM-MT, Maria de Fátima de Carvalho Ferreira, é inaceitável o número de crianças que desaparecem a cada dia, pois todas têm direito à proteção. “Precisamos discutir, conhecer e difundir o que deve ser feito diante do desaparecimento de uma criança ou de um adolescente. Atrasos nas medidas a serem tomadas podem prejudicar a recuperação dessas crianças. É nesse sentido que os Conselhos têm se engajado na luta em prol da prevenção do desaparecimento e na luta por uma maior eficiência na busca, alertando médicos, principalmente pediatras, em medidas que podem contribuir para localização destas crianças”.
 
O evento, que é aberto a comunidade, profissionais da saúde e entidades representativas, destacará também o trabalho de notificação e busca dos desaparecidos, além da necessidade de uma política integral e coordenada. A participação do Seminário é gratuita e para garantir a vaga o interessado deve encaminhar e-mail com nome, telefone e representatividade para  acoessociais@portalmedico.org.br.
 
 
 
SERVIÇO:
 
Seminário sobre Crianças Desaparecidas
Data: 23 de maio
Horário: das 9 às 13h
Local: Auditório do CRM na Rua E, S/Nº Centro Político Administrativo, Cuiabá (MT)
Inscrições gratuitas: encaminhar email com nome, contato e representatividade para  acoessociais@portalmedico.org.br
Informações: (65) 3612-5400
 
 
 
PROGRAMAÇÃO:
 
9h abertura
José Fernando Maia Vinagre – corregedor do CFM
​Maria de Fátima de Carvalho Ferreira– presidente do CRM-MT
 
9h20 – Palestra “O problema e os números do desaparecimento”
Ricardo Paiva – Comissão de Ações Sociais do CFM
 
9h40 – Exposições:
Visão do Departamento Estadual da Criança e do Adolescente (Deca) da Polícia Civil do Estado  
Visão do Ministério Público do Estado
Visão da Sociedade de Pediatria
Visão da Sociedade Civil – mães de desaparecidos
 
10h30 – debates
 
12h30 – Atuação da Polícia Civil do Rio Grande do Sul na busca por crianças e adolescentes desaparecidos
Adriana CostaDiretora do Departamento Estadual da Criança e do Adolescente da Polícia Civil do Rio Grande do Sul
 
12h50 – Encerramento
Aviso de Privacidade
Nós usamos cookies para melhorar sua experiência de navegação no portal. Ao utilizar o Portal Médico, você concorda com a política de monitoramento de cookies. Para ter mais informações sobre como isso é feito, acesse Política de cookies. Se você concorda, clique em ACEITO.