Péricles de Almeida, instigou reflexões sobre o modo de viver e a evolução do homemA medicina como arte e ciência do cuidado integral foi tema central de conferência realizada nesta sexta-feira (26) durante o VII Congresso Brasileiro de Humanidades Médicas, evento promovido pelo Conselho Federal de Medicina (CFM), em São Paulo (SP). O encontro reúne cerca de 200 médicos de diversas especialidades, professores, estudantes e profissionais de áreas afins interessados no conhecimento humanístico voltado para a prática médica e a saúde.

Como conferencista, o membro da Comissão de Humanidades Médicas do CFM, Péricles de Almeida, instigou reflexões sobre o modo de viver e a evolução do homem. “A medicina tem que lidar com sintropia e a entropia. Tem que estar aberta para o tratamento das doenças e para afirmação do desenvolvimento humano em sua plenitude”, pontuou. (Assista aqui a conferência completa).

A programação da manhã também reservou espaço para a mesa-redonda sobre as expectativas dos estudantes em relação ao futuro profissional na era digital. Quatro alunos puderam relatar suas perspectivas para a medicina e o avanço do mundo tecnológico na saúde. Um deles foi o coordenador Regional Sul da Direção Executiva Nacional dos Estudantes de Medicina (DENEM), Henrique Bassin, que tratou da precarização da medicina, o que chamou de “uberização da saúde”. “A tecnologia já é uma realidade e precisamos observar as consequências dela. O meu temor é que ela seja motivo para precarização da saúde”, disse.

Os estudantes abordaram os avanços da era digital e mudanças nos hábitos das pessoasOs estudantes também abordaram os avanços da era digital e as mudanças nos hábitos das pessoas na hora de escolher um tratamento ou procurar uma ajuda médica. “Quando os pacientes procuram médicos, não é simplesmente porque querem um diagnóstico ou um tratamento, eles querem uma conexão humana, e isso nenhuma máquina tira da gente”, defendeu Priscilla Barbosa Costa, presidente Associação Brasileira de Ligas Acadêmicas de Medicina (ABLAM).

A sétima edição do Congresso Brasileiro de Humanidades Médicas terá prosseguimento à tarde com oficinas sobre comunicação, cinema, música e literatura. Os participantes também poderão acompanhar a apresentação de 21 trabalhos com relatos de experiência e estudos qualitativos que abordam diversos temas relativos a humanidades.

 

 

Saiba mais:

Formação humanística do médico é destacada na abertura do VII Congresso de Humanidades Médicas

Humanidades médicas: Docentes compartilham experiências das universidades

Aviso de Privacidade
Nós usamos cookies para melhorar sua experiência de navegação no portal. Ao utilizar o Portal Médico, você concorda com a política de monitoramento de cookies. Para ter mais informações sobre como isso é feito, acesse Política de cookies. Se você concorda, clique em ACEITO.