altA principal consequência do programa Mais Médicos foi a abertura de escolas médicas, não resolvendo os problemas assistenciais do país, nem preenchendo os vazios assistenciais. Essa foi a conclusão da mesa redonda “Cinco anos após a lei do Mais Médicos: de lá para cá, o que mudou?”, realizada na tarde do dia 25 de julho, durante o 3° Fórum Nacional de Integração do Médico Jovem – construindo o futuro da medicina brasileira, promovido pelo CFM e pelo Cremesp, nos dias 25 e 26 de julho, em São Paulo.

O primeiro palestrante foi o professor da Faculdade de Medicina da Universidade Federal de Rondônia (Unir) José Ferrari, que fez um histórico sobre a implantação do programa e relatou como é realizado o trabalho de preceptoria dos intercambistas, já que a Unir acompanha os participantes do programa. “No começo, os cubanos não sabiam usar a internet, nem sabiam como funcionava o SUS”, contou. Ferrari afirmou, ainda, que os prefeitos já estão começando a questionar o programa, já que ele não está resolvendo os problemas de saúde da população, como mostram os recentes dados epidemiológicos. Acesse a apresentação aqui.

Para o conselheiro federal Lúcio Flávio Gonzaga, que falou em seguida, o programa partiu de um diagnóstico errado “de que faltava médicos no Brasil”, aplicou uma terapêutica incorreta “de contratação de profissionais sem Revalida”, o que conduziu a resultados “pífios e insatisfatórios”, tanto que os “vazios assistenciais permanecem” (acesse a apresentação aqui). Em seguida, o presidente da Associação dos Médicos Residentes do Estado de São Paulo (AMRESP), Guilherme Andrade Peixoto, falou sobre o “Médico Jovem e o mercado de trabalho” falou sobre a organização da residência médica no Brasil e a realidade enfrentada pelo médico residente. “Com a proliferação das escolas médicas, ficou mais difícil o futuro profissional dos novos médicos, sendo necessário um bom planejamento profissional”, argumentou. A apresentação pode ser acessada aqui.

Leia também:

Carta de São Paulo defende mudanças curriculares

Médicos debatem avanços e desafios do uso da tecnologia na medicina

Residência Médica deve ser aperfeiçoada, defendem especialistas

Mesa redonda debate a saúde do médico jovem

Lideranças médicas defendem inclusão de disciplinas como empreendedorismo

Evento debate problemas globais em saúde

Fórum Nacional de Integração do Médico Jovem debate inserção no mercado de trabalho

Aviso de Privacidade
Nós usamos cookies para melhorar sua experiência de navegação no portal. Ao utilizar o Portal Médico, você concorda com a política de monitoramento de cookies. Para ter mais informações sobre como isso é feito, acesse Política de cookies. Se você concorda, clique em ACEITO.