Em nota pública, o Conselho Regional de Medicina do Estado da Bahia (Cremeb) e o Conselho Federal de Medicina (CFM) manifestaram repúdio contra a ação de um grupo de sindicalistas que impediu, nesta sexta-feira (30), o acesso do médico Fernando Tranquilini da Silveira às dependências do Hospital São Rafael, em Salvador (BA), onde era aguardado para um procedimento cirúrgico de emergência.

Em vídeo divulgado na internet e nas mídias sociais, o próprio Fernando Tranquillini relata a dificuldade enfrentada. Nas imagens, ele aparece indo para o trabalho, não conseguindo passar por uma barreira montada próxima do centro de saúde. Mesmo argumentando a urgência e apresentando documentos, os manifestantes se mostraram irredutíveis. Assista o vídeo clicando aqui.

 

NOTA DE REPÚDIO

O Conselho Regional de Medicina do Estado da Bahia (Cremeb) e o Conselho Federal de Medicina (CFM), órgãos que zelam pelas condições de trabalho dos médicos e dos serviços prestados à sociedade, manifestam seu veemente repúdio contra a ação irresponsável de um grupo de sindicalistas que impediu, nesta sexta-feira (30), o acesso do médico Fernando Tranquilini da Silveira às dependências do Hospital São Rafael, em Salvador, onde era aguardado para um procedimento cirúrgico de emergência.

Mesmo tendo se identificado e relatado a grave situação que o esperava, o bloqueio se manteve, colocando em risco a vida de um paciente. O Cremeb e o CFM reiteram seu apoio à liberdade de expressão, mas entendem que, de forma alguma, ela pode impedir o direito constitucional de ir e vir e nem permitir situações que coloquem em risco o bem-estar de cidadãos.

Os Conselhos de Medicina expressam sua solidariedade ao médico e aos pacientes prejudicados pelo ato promovido pelos sindicalistas e pedem às autoridades responsáveis pela segurança pública no Estado da Bahia a tomada de providências para evitar outros episódios desse tipo.

CONSELHO REGIONAL DE MEDICINA DO ESTADO DA BAHIA

CONSELHO FEDERAL DE MEDICINA

 

Aviso de Privacidade
Nós usamos cookies para melhorar sua experiência de navegação no portal. Ao utilizar o Portal Médico, você concorda com a política de monitoramento de cookies. Para ter mais informações sobre como isso é feito, acesse Política de cookies. Se você concorda, clique em ACEITO.