Diagnóstico por Imagem debateu responsabilidades do radiologista
A normatização da responsabilidade do radiologista nas unidades permanentes de serviços por imagem, o comportamento do especialista diante do paciente ao se deparar com um resultado crítico e inesperado e a responsabilidade da prescrição do contraste radiológico foram alguns dos assuntos debatidos na reunião desta terça-feira (19) da Câmara Técnica de Medicina por Imagem do Conselho Federal de Medicina (CFM). Para o coordenador do colegiado, Aldemir Humberto Soares, essas questões dizem respeito ao dia-a-dia do radiologista e requerem um debate permanente por parte da Câmara Técnica.

Outros assuntos debatidos foram a atualização da Resolução CFM n º 2107/14, que define e normatiza a telerradiologia, e a Resolução CFM nº 813/77, sobre a determinação de que os resultados das análises e pesquisas clínicas seja sob a forma de laudos médicos. A Câmara Técnica também debateu a organização do próximo Fórum de Diagnóstico por Imagem, previsto para novembro deste ano.

Participaram da reunião, Alair Augusto Sarmet, Aldemir Humberto Soares, Antônio Carlos Matteoni de Atahyde, Henrique Carrete Júnior, Joaquim Maurício da Mota Leal Filho, Plínio Roberto Barreto Sodré e Sebastião Cezar Mendes Tramontina.Medicina de Fronteira está preocupada com valorização do médico

Fronteira – A Comissão de Integração de Médicos de Fronteira, também reunida nesta terça-feira (9), debateu a necessidade de valorização do médico que trabalha nas regiões limítrofes do país. “Defendemos que seja criada uma carreira de Estado e um bônus para o médico que se dispõe a trabalhar nessas regiões”, enfatizou a coordenadora da Comissão, Dilza Terezinha Ribeiro. Ela também argumentou que os estados fronteiriços deveriam receber recursos adicionais por parte do governo federal no caso de atendimento à população dos países vizinhos.

A Comissão também discutiu a qualidade dos cursos de medicina oferecidos pelos países da fronteira com o Brasil, principalmente Bolívia e Paraguai. “São milhares de brasileiros sendo formados nesses lugares e que vão buscar atuar no Brasil”, lembrou Faisal Augusto Alderete Escaibe, integrante da Comissão. Uma das propostas debatidas para melhorar a qualidade desses cursos foi a criação de parâmetros comuns de qualidade para os países do Mercosul, como ocorre na União Europeia.

Participaram da reunião da Comissão: Ademar Carlos Augusto, Alberto Carvalho de Almeida, Alceu dos Santos Silva, Aníbal Gil Lopes, Dilza Teresinha Ambros Ribeiro, Faisal Augusto Alderete Escaibe, Jeancarlo Cavalcante, Josemar Câmara Feitosa, Maria das Graças Creão Salgado e Nelson Arns Neumann.

Aviso de Privacidade
Nós usamos cookies para melhorar sua experiência de navegação no portal. Ao utilizar o Portal Médico, você concorda com a política de monitoramento de cookies. Para ter mais informações sobre como isso é feito, acesse Política de cookies. Se você concorda, clique em ACEITO.