Câmara Técnica debate implante de membrana amniótica

A Câmara Técnica de Oftalmologia reuniu-se nesta terça-feira (2) para debater respostas a consultas protocolizadas no CFM. Entre os assuntos debatidos estavam a realização de mutirões para a realização de cirurgias de catarata e o implante de lente em câmara posterior. Sobre este assunto, o assessor técnico do Conselho Federal de Medicina (CFM) Wanderley Marques Bernardo apresentou um estudo, baseado na análise de metadados, acerca dos prós e contras do uso da tecnologia em relação a outras técnicas, como o laser.

“Há um interesse muito grande sobre este procedimento e estamos analisando com todo o cuidado necessário”, afirmou o coordenador da Câmara Técnica, José Fernando Maia Vinagre, que designou a assessora Clarice Petramale para concluir a redação do parecer, a ser votado pelo plenário do CFM.

Outro assunto debatido na reunião da Câmara Técnica foi o uso da membrana amniótica, que, além da oftalmologia, também pode ser usada em outras áreas da medicina, como a regeneração de queimaduras. Participaram da reunião: José Augusto Alves Ottaiano, José Fernando Maia Vinagre (coordenador), Milton Ruiz Alvez, Rodrigo Pascoal Azevedo, Tânia Maria Cunha Schaefer, Clarice Petramale, Mauro Ribeiro e Wanderley Marques Bernardo.

A Câmara Técnica de Oftalmologia reuniu-se nesta terça-feira (2) para debater respostas a consultas protocolizadas no CFM. Entre os assuntos debatidos estavam a realização de mutirões para a realização de cirurgias; a Resolução CFM nº 2.153, que trata das fiscalizações nos estabelecimentos médicos, e o uso da membrana amniótica no implante de cristalino. 



Aviso de Privacidade
Nós usamos cookies para melhorar sua experiência de navegação no portal. Ao utilizar o Portal Médico, você concorda com a política de monitoramento de cookies. Para ter mais informações sobre como isso é feito, acesse Política de cookies. Se você concorda, clique em ACEITO.