Câmara Técnica acertou os detalhes da programação do IV Fórum da Medicina do Esporte
A Câmara Técnica de Medicina do Esporte finalizou nesta quarta-feira (4) a programação do IV Fórum da especialidade, a ser realizado no próximo dia 11 de maio, na sede do Conselho Federal de Medicina (CFM), em Brasília. O evento terá como tema “Medicamentos e suplementos nos exercícios e esportes – o que o médico deverá saber” e vai debater, entre outros assuntos, o dopping na atividade esportiva.

A primeira atividade será a conferência “Guia Médico WADA/AMA-AUT”, a ser proferida pelo presidente da comissão AUT da Autoridade Brasileira de Controle de Dopping, José Kamazoe Lazzoli. Em seguida, o presidente da Sociedade Brasileira do Esporte e do Exercício, Marcelo Bichels Leitão, fará a conferência “Dopagem e antidopagem – regras básicas”. Ainda no horário da manhã será realizada a mesa redonda “Regras básicas e situações reais”, que abordará os seguintes temas, “Autorização para uso terapêutico de substâncias proibidas no esporte” e “Medicamentos proibidos e patologias (Guia Médico Wada/AMA).

 À tarde, será realizada a conferência “Suplementos alimentares e produtos naturais”, que terá a apresentação do presidente da Comissão de Controle de Dopping da Confederação Brasileiro de Futebol (CBF), Fernando Solera, responsável por falar sobre o tema “Suplementos e produtos naturais: quais os riscos de contaminação”. Em seguida, o coordenador médico do Comitê Olímpico Brasileiro, Roberto Nahom, vai continuar a conferência discorrendo sobre a eficácia, ou não, dos suplementos.

Em seguida, está programada uma mesa redonda sobre situações reais acerca de suplementos, produtos naturais e dopping, que reunirá os médicos do esporte Fernando Solera, Jorge Pagura, Roberto Vital, Nabil Ghorayeb e Serafim Borges. Na sequência, será realizada uma mini conferência sobre os riscos à saúde, efeitos negativos e colaterais pelo uso de anabolizantes esteroides, GH, EPO, diuréticos estimulantes e narcóticos. Ao final, uma mesa redonda vai debater casos reais, analisando a responsabilidade ética, civil e criminal do médico e de outros membros do staff do atleta.

Entre as questões a serem levantadas durante o IV Fórum de Medicina do Esporte está a punição para o médico que se envolve intencionalmente com o dopping e, também, o que deve ser feito quando o envolvimento não é intencional. Outro debate é se os casos positivos de dopping podem ser divulgados da forma como ocorre atualmente.

Para o coordenador da Câmara Técnica, Emmanuel Fortes, o IV Fórum também será uma oportunidade para que seja debatida a elaboração de uma resolução que dê organicidade à medicina esportiva, que conta hoje com 869 especialistas no país. “Será uma oportunidade de darmos organicidade ao funcionamento da especialidade no país, com seus deveres e direitos”, defendeu. Fortes também defendeu o protagonismo do médico esportivo no acompanhamento, orientação e definição dos melhores tratamentos para os atletas.

Participaram da reunião da Câmara Técnica de Medicina do Esporte: Emmanuel Fortes, João Alves Grangeiro Neto, Ricardo Nahas, Roberto Vital e Mauro Ribeiro.

Aviso de Privacidade
Nós usamos cookies para melhorar sua experiência de navegação no portal. Ao utilizar o Portal Médico, você concorda com a política de monitoramento de cookies. Para ter mais informações sobre como isso é feito, acesse Política de cookies. Se você concorda, clique em ACEITO.