Significado das humanidades médicas foi debatido no encontro virtual promovido pela Comissão

Significado das humanidades médicas foi debatido no encontro virtual promovido pela Comissão

 

Com discussões sobre a ciência, a ética e a abordagem das humanidades médicas nos cursos de medicina, a Comissão de Humanidades Médicas do CFM realizou na noite de 7 de outubro o I Webinar do grupo. O seminário on-line foi transmitido pelo canal do CFM no YouTube. Na abertura do encontro, a coordenadora adjunta da Comissão, Helena Maria Carneiro Leão, destacou a importância dessa discussão, no atual momento. “O tema é sempre atual e relevante, principalmente nesses tempos vividos desde março de 2020”, pontuou a conselheira, também vice-corregedora do CFM.

O evento foi aberto com uma palestra com o tema “Fronteiras entre a Fé e a Razão”, em conferência proferida pelo padre Aníbal Gil Lopes, doutor e professor associado da Universidade de São Paulo, além de membro de diversas comissões no CFM, como as Câmaras Técnicas de Doenças Raras, Medicina Paliativa e de Morte Encefálica e também as Comissões de Humanidades Médicas, de Integração de Médicos de Fronteira e de Novos Procedimentos em Medicina.

O religioso, médico e docente apresentou um breve histórico sobre sua experiência de vida, o interesse pela ciência e também a vontade de formar cientistas, enquanto professor. “Uma das preocupações que eu tive, ao dar aulas, foi de formar alunos e também cientistas. Ciência é antes de tudo deslumbramento. Fazer ciência, ser cientista, é estar continuamente disposto a não saber; para, contemplando, observando; vir a saber”, concluiu o padre.

A apresentação foi celebrada pelo cardiologista e ex-secretário geral do CFM, Henrique Batista e Silva. “Professor Aníbal, por sua excelente formação como médico, docente e como padre evangelizador da Igreja Católica, possui posição privilegiada na interseção entre a ciência e a espiritualidade”, destacou Henrique Batista, conselheiro regional do CRM de Sergipe.

Momento da Arte – Dando sequência ao evento, o presidente da Sociedade Brasileira dos Médicos Escritores Regional Sergipe, Lúcio Antônio Prado Dias, apresentou trecho do filme A Missão, que trata da época da expulsão dos jesuítas do reino português devido à crise nas relações entre Coroa portuguesa e a Companhia de Jesus.

Em seguida à exibição do trecho da obra, o Momento da Arte no Webinar de Humanidades cedeu espaço a uma apresentação da obra Tico Tico no Fubá, de Zequinha de Abreu, pela Orquestra Juvenil da Bahia.

Humanidades na universidade – Após a apresentação, também o doutor em Medicina e professor de Clínica Médica e Bioética da Universidade Estadual de Londrina (UEL), José Eduardo de Siqueira, falou sobre um dilema enfrentado nos cursos de medicina. “Na universidade, ficamos muito presos à inteligência lógico-matemática, nessa certeza da medicina baseada em evidências, que leva em conta somente fatos e não valores, fazendo existir a medicina da doença e não a medicina da pessoa”, analisou o bioeticista.

Ao final, o ex-presidente do CFM e membro da Comissão de Humanidades, Roberto Luiz d´Avila fez uma análise do encontro e abriu os questionamentos para início dos debates do evento a partir de questionamentos enviados pelos internautas. A íntegra do I Webinar de Humanidades Médicas do CFM está disponível no canal do CFM no YouTube e pode ser acessada AQUI.

Aviso de Privacidade
Nós usamos cookies para melhorar sua experiência de navegação no portal. Ao utilizar o Portal Médico, você concorda com a política de monitoramento de cookies. Para ter mais informações sobre como isso é feito, acesse Política de cookies. Se você concorda, clique em ACEITO.