Escrito por Antonio Carlos Lopes*

O organismo humano é um longo caminho percorrido pelo sangue durante toda a vida. Bombeado continuamente pelo coração, o fluxo sangüíneo leva oxigênio a todas as células do corpo até retornar ao coração, dando início a um novo percurso. Este processo é ininterrupto. Neste sentido, o sistema de coagulação/anticoagulação é extremamente importante para que não surjam sangramentos e tromboses.

Este sistema possui diversos elementos importantes, como as plaquetas, que rapidamente são direcionadas para inibir um sangramento, formando um trombo. Com o passar do tempo, este trombo é dissolvido, permitindo que a circulação sanguínea volte ao normal naquela região.

Desta maneira, a trombose é um distúrbio no equilíbrio coagulação/anticoagulação com predomínio da primeira. Ou seja, é a produção de trombo em locais onde não há sangramento. O maior risco está na possibilidade destes trombos se desprenderem e, com o sangue, percorrerem o caminho da circulação venosa. Se os trombos chegam aos pulmões fica caracterizada a temível situação que é a embolia pulmonar, causa de inúmeras mortes súbitas.

Vítimas de embolia pulmonar depois de viagens longas, em ambientes nos quais a mobilidade é reduzida, como em carros, ônibus e aviões, vêm sendo estudadas há algumas décadas. Não faz muito tempo, o fenômeno passou a ser chamado “Síndrome da Classe Econômica”, em alusão às estreitas poltronas dos voos comerciais.

Como foi dito, o mal não se restringe apenas às viagens de avião, embora nestes ambientes haja agravantes, como altitude elevada e baixa umidade relativa do ar. Longas distâncias percorridas em ônibus e até mesmo muitas horas na mesma posição em frente ao computador, por exemplo, podem acarretar o problema.

Porém, a posição desconfortável e a restrita movimentação não são os únicos motivos da embolia pulmonar, visto que apenas uma pequena minoria acaba desenvolvendo o problema. Na grande maioria dos casos, quando possível, levantar e dar alguns passos pelo corredor no meio da viagem, movimentar as pernas mesmo sentado ou, ainda, massagear a panturrilha é suficiente para prevenir qualquer complicação. Também foi verificado que grande parte das vítimas ingeriu bebidas alcoólicas durante as viagens. Com álcool no sangue, o passageiro tende a deitar mal acomodado e com postura incorreta, o que pode acarretar a trombose nos membros inferiores. Portanto, a ingestão de bebidas alcoólicas também deve ser evitada durante viagens longas.

Pacientes com problemas circulatórios previamente diagnosticados, antecedentes familiares, inchaços freqüentes nos membros inferiores, idosos e cardiopatas devem consultar um médico para receber orientações específicas antes de viagens longas. O uso de meias elásticas e medicamentos anticoagulantes pode prevenir o problema, porém, a profilaxia deve ser feita sempre com indicações precisas do médico, pois os medicamentos não podem ser utilizados indiscriminadamente.


* É presidente da Sociedade Brasileira de Clínica Médica (SBCM).


* As opiniões, comentários e abordagens incluidas nos artigos publicados nesta seção são de inteira responsabilidade de seus autores e não expressam, necessariamente, o entendimento do Conselho Federal de Medicina (CFM).


 * Os textos para esta seção devem ser enviados para o e-mail imprensa@portalmedico.org.br, acompanhados de uma foto em pose formal, breve currículo do autor com seus dados de contato. Os artigos devem conter de 3000 a 5000 caracteres com espaço e título com, no máximo, 60.


* Os textos para esta seção devem ser enviados para o e-mail imprensa@portalmedico.org.br, acompanhados de uma foto em pose formal, breve currículo do autor com seus dados de contato. Os artigos devem conter de 3000 a 5000 caracteres com espaço e título com, no máximo, 60.
Aviso de Privacidade
Nós usamos cookies para melhorar sua experiência de navegação no portal. Ao utilizar o Portal Médico, você concorda com a política de monitoramento de cookies. Para ter mais informações sobre como isso é feito, acesse Política de cookies. Se você concorda, clique em ACEITO.