Escrito por César Eduardo Fernandes*

Todos os anos, em 30 de outubro, comemora-se o Dia do Tocoginecologista. Trata-se de uma justíssima homenagem aos especialistas que cuidam da saúde das brasileiras.

A assistência integral à mulher, buscando a promoção de seu bem-estar por intermédio da prevenção e da garantia de seus direitos, é uma missão que merece reconhecimento e aplausos. O tocoginecologista é, com certeza, um médico diferenciado; trata do gênero feminino com sensibilidade e cumplicidade, esclarecendo dúvidas, ouvindo queixas e anseios.

Da puberdade à menopausa, é presença indispensável. Sem falar dos especialíssimos nove meses de gestação. Agradecer e brindar aos tocoginecologistas, no entanto, não deve fazer com que deixemos de enxergar os espinhos de sua prática profissional. Hoje em dia, são enormes os problemas que afligem o especialista em Ginecologia e Obstetrícia , assim como ocorre com o conjunto dos médicos do Brasil.

Os honorários vis dos sistemas público e suplementar de saúde, a inexistência de um Plano de Cargos, Carreira e Vencimentos, com progressão por tempo de serviço, a falta de estrutura adequada para o exercício da medicina, entre outros pontos, prejudicam sensivelmente a qualidade de vida e a ação do tocoginecologista, com reflexos importantes no atendimento.

Vencer tais obstáculos, construir uma rede de saúde que assegure uma condição adequada de assistência e tratamento; salários e honorários justos, além de oportunidade acessível de educação científica continuada, são metas que devemos perseguir todos os dias. Afinal, só dessa forma ergueremos a base fundamental à boa prática, com reconhecimento profissional e respeito às pacientes.

Por isso, em comemoração à data tão importante, convido cidadãos e médicos à reflexão e a unir forças por um sistema de saúde de qualidade em todas as suas pontas. Parabéns, meu amigo tocoginecologista.

 

* É professor do Departamento de Ginecologia e Obstetrícia da FMABC.


* As opiniões, comentários e abordagens incluidas nos artigos publicados nesta seção são de inteira responsabilidade de seus autores e não expressam, necessariamente, o entendimento do Conselho Federal de Medicina (CFM).


 * Os textos para esta seção devem ser enviados para o e-mail imprensa@portalmedico.org.br, acompanhados de uma foto em pose formal, breve currículo do autor com seus dados de contato. Os artigos devem conter de 3000 a 5000 caracteres com espaço e título com, no máximo, 60.


* Os textos para esta seção devem ser enviados para o e-mail imprensa@portalmedico.org.br, acompanhados de uma foto em pose formal, breve currículo do autor com seus dados de contato. Os artigos devem conter de 3000 a 5000 caracteres com espaço e título com, no máximo, 60.
Aviso de Privacidade
Nós usamos cookies para melhorar sua experiência de navegação no portal. Ao utilizar o Portal Médico, você concorda com a política de monitoramento de cookies. Para ter mais informações sobre como isso é feito, acesse Política de cookies. Se você concorda, clique em ACEITO.