CRM-ES enaltece profissionalismo dos médicos no enfrentamento da crise da segurança pública Imprimir
Seg, 13 de Fevereiro de 2017 09:40
crm es

 O Conselho Regional de Medicina do Estado do Espirito Santo (CRM-ES) enaltece o profissionalismo dos médicos nesse momento de caos na Segurança Pública do nosso Estado. Ciente da nossa responsabilidade junto aos colegas e dos médicos em atender a população carente que necessita e depende da rede pública por não ter condições de se deslocar para hospitais privados, o CRM-ES vem orientando a classe médica capixaba a ficar atenta à sua segurança. Os que não se sentirem seguros no atendimento ambulatorial devem comunicar às chefias e suspender o atendimento até que a segurança pública seja restabelecida.
 
Mesmo assim, estamos recebendo vários questionamentos de médicos e seus familiares em relação aos postos de trabalhos, principalmente os plantonistas de hospitais, UPAs, PAs e Central de Regulação de Vagas, como também o SAMU – Serviço de Atendimento Médico Móvel de Urgência. Observamos que, em sua grande maioria, esses profissionais, no cumprimento do seu ofício, mantiveram o atendimento, independentemente de o paciente ser uma vítima das ocorrências ou ser o causador das violências contra a população.
 
A categoria médica tem demonstrado seu compromisso com nosso juramento ao formarmos e, hoje, atendendo em condições deficitárias, com baixa remuneração, com insegurança, arriscando sua própria integridade física, fazem o melhor dentro das suas limitações no trabalho e da sua capacidade profissional pelas condições atualmente apresentadas conforme o “sistema” nos impõe.
 
É muito fácil e cômodo, para outras entidades representativas, fechar suas portas, suspender suas atividades, ao invés de atuar para uma solução em curto prazo, pois, mesmo no seu direito de reivindicação justa, com o qual concordamos, a Polícia Militar não pode abandonar a população, suspendendo 100% das suas atividades de manutenção da segurança pública. Serviço essencial precisa ser mantido.
 
Os médicos, apesar de salários indignos, das condições de trabalho insatisfatórias, do medo e da insegurança dos familiares e do próprio profissional, estão cumprindo com o seu dever na prestação dos serviços médicos nas urgências e emergências, enquanto outras entidades representativas dos Direitos da População suspendem suas atividades aguardando o desfecho dessa triste situação que estamos passando. A saúde não pode esperar, a urgência e emergência têm o seu tempo de resolução imediato.
 
Mais uma vez, o CRM-ES se junta aos colegas médicos e os parabeniza pela atitude profissional, ética, responsável, comprometida com o atendimento à população que, nesse momento, assim como os próprios médicos, está exposta, não tendo seus direitos constitucionais preservados.
 
Solicitamos também aos municípios que possam conseguir meios de garantir a segurança nos postos de trabalho, por meio da sua Guarda Municipal ou mesmo decretando Estado de Emergência e fazendo contratação de segurança particular para que os profissionais possam exercer suas atividades com segurança.
 
Será necessário que ocorra um desfecho trágico com o profissional da saúde, que atende nessas condições, para as nossas entidades representativas da Lei da Ordem Pública possam se manifestar?   
 
 

Diretoria do CRM-ES

 

Fonte: CRM-ES