Rede dos Conselhos de Medicina
Saúde forma Especialistas para investigar e combater Surtos e Epidemias Imprimir E-mail
Ter, 20 de Agosto de 2002 21:00
O Brasil formou na semana passada, em Brasília, onze especialistas em prevenção e controle de surtos e epidemias que vão atuar em situações de alto risco à saúde pública. O grupo terá a missão de realizar investigações epidemiológicas para identificar fatores que estejam causando a ocorrência de enfermidades graves e orientar as autoridades sanitárias sobre as medidas que devem ser adotadas para conter o avanço da doença. Esta foi a primeira turma a ser capacitada pelo Programa de Treinamento em Epidemiologia Aplicada aos Serviços do Sistema Único de Saúde (EPISUS), desenvolvido pela Fundação Nacional de Saúde - FUNASA, em parceria com os Centros para o Controle e Prevenção de Doenças (CDC), de Atlanta, Estados Unidos. Criado em 2000 pela FUNASA com o objetivo de fortalecer a área de epidemiologia e controle de doenças, evitando agravos à saúde pública por meio de intervenções rápidas, o EPISUS desenvolveu durante dois anos de curso várias investigações, oferecendo aos alunos, além da teoria, oportunidades de atuar, na maior parte do tempo, em campo. Ou seja, os alunos são deslocados para regiões onde estão ocorrendo surtos e lá promovem a investigação, deixam as recomendações necessárias e monitoram o andamento das ações para bloquear o avanço da doença. Em dois anos, os alunos realizaram 19 investigações em 31 cidades distribuídas por 14 estados brasileiros. Além disso, o EPISUS colaborou com o CDC na investigação de um surto de leptospirose ocorrido entre atletas infectados durante um evento esportivo na cidade de Borneo, Malásia. A intervenção de uma equipe do EPISUS, em conjunto com técnicos das áreas de imunizações, vigilância epidemiológica e de laboratórios de saúde pública conteve o avanço da febre amarela silvestre na região de Divinópolis (MG), em fevereiro de 2001. Outra ação foi uma investigação em Rio Branco, Acre, para conter a dengue naquela cidade, trabalho desenvolvido em parceria com as secretarias estadual e municipal de saúde locais. O programa brasileiro vem recebendo elogios, inclusive da Organização Pan-Americana de Saúde (Opas), que destacou em seu último informativo o trabalho desenvolvido pelo EPISUS. FONTE: FUNASA
 
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner