Rede dos Conselhos de Medicina
Bill Clinton apóia Luta Brasileira por mais Recursos para a AIDS Imprimir E-mail
Dom, 14 de Julho de 2002 21:00
Durante o intervalo da gravação de um programa para a MTV, no dia 11/07, em Barcelona, com a participação de Bill Clinton, Peter Piot, diretor da Unaids (Agência da Organização das Nações Unidas para a AIDS) e Paulo Roberto Teixeira, coordenador do Programa Brasileiro de DST e AIDS, o ex-presidente dos Estados Unidos elogiou a experiência brasileira para o restante dos países em desenvolvimento e pediu mais informações sobre o Programa de AIDS do Ministério da Saúde. Bill Clinton perguntou se alterações no quadro político brasileiro não afetariam a qualidade do programa, diante da importância que ele vem tendo para o mundo. Paulo Teixeira explicou que a resposta brasileira à epidemia de AIDS "é uma construção conjunta de governo e sociedade civil, resultado de quase duas décadas de trabalho". E que a consolidação deste trabalho, principalmente na última década, torna-o menos vulnerável a mudanças de rumo no quadro político. Outra preocupação levantada por Clinton foi a de captar mais recursos para o Fundo Global de AIDS, Tuberculose e Malária, criado durante Assembléia Especial das Nações Unidas em junho do ano passado. Atualmente, o Fundo conta com 2 bilhões de dólares, mas a expectativa era de que já tivessem sido levantados cerca de 10 bilhões. Clinton alinhou-se a Paulo Teixeira na argumentação de que os países ricos devem aumentar sua participação no Fundo Global. Esta foi uma das principais propostas apresentadas pelo Brasil durante a XIV Conferência Mundial de AIDS, em Barcelona. Paulo Teixeira também alertou para a preocupação de como estes recursos devem ser gastos. "Os países em desenvolvimento que tiverem o apoio do Fundo Global para melhorar o controle da epidemia em suas fronteiras precisam provar que saberão administrar bem esses recursos. Só assim teremos a confiança dos países doadores e, conseqüentemente, uma maior participação dos países ricos no Fundo", disse a Clinton. No último tópico da conversa entre Teixeira e o ex-presidente americano, que durou cerca de 15 minutos, Clinton mostrou-se favorável à expansão da estratégia brasileira em apoiar a produção de genéricos e expandir o modelo de negociações mais efetivas com a indústria farmacêutica, para redução dos preços dos medicamentos para os países em desenvolvimento. No encerramento da XIV Conferência de AIDS, Clinton destacou que uma das melhores notícias do evento foi a conclusão da negociação conjunta entre países de língua inglesa do Caribe e laboratórios farmacêuticos. Na fala de encerramento, o ex-presidente dos Estados Unidos fez cerca de três referências positivas ao Programa Brasileiro de AIDS. FONTE: Ministério da Saúde.
 
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner