Rede dos Conselhos de Medicina
Aids pode fazer 45 Milhões de Novas Vítimas até 2010 Imprimir E-mail
Qui, 04 de Julho de 2002 21:00
Pelo menos 45 milhões de pessoas em todo o mundo serão infectadas pelo vírus da Aids nos próximos oito anos, caso bilhões de dólares não sejam investidos no combate à doença. O alerta foi dado pelas Nações Unidas e pelo Grupo de Trabalho em HIV, às vésperas da 14ª Conferência Mundial de Aids, que começa no próximo domingo em Barcelona, na Espanha. De acordo com o Grupo de Trabalho em HIV, a tragédida da África subsaariana, que possui o maior número de pessoas com Aids do mundo, pode se repetir caso "algumas lições não sejam aprendidas" pelos demais países do mundo. O grupo desenvolveu um relatório com dicas para ajudar governos a reduzir as infecções por HIV. Pesquisas A pesquisa, publicada na revista médica britânica The Lancet, é divulgada três dias depois que um relatório do Unaids, o programa de Aids da ONU, previu que 68 milhões de pessoas podem morrer de Aids até 2020. A última pesquisa mostra o que acontecerá se trabalhos de prevenção eficazes não forem realizados. Atualmente, 4 milhões de pessoas são infectadas pelo HIV anualmente. Sem nenhuma intervenção, este número pode chegar a cinco milhões já em 2007. Mas se programas eficazes forem implementados, o número de novos casos de infecção pode cair para 1,5 milhão por ano. Em 2010, isso representaria 28 milhões de novas infecções. O pior cenário, no entanto, prevê 45 milhões de novos infectados, a maior parte sem acesso aos medicamentos retrovirais, usados para controlar a doença. David Serwadda, da Universidade de Makerere, em Uganda, é um dos colaboradores do estudo. Ele diz que as autoridades de saúde fracassaram em combater a doença em seu estágio inicial, evitando a infecção, na África subsaariana. "Agora estamos pagando o preço", acredita. "Mas ainda temos a oportunidade de livrar gerações futuras da Aids na África, e evitar epidemias semelhantes à africana em países como Índia, Rússia e China", explica. Programas Seria possível, diz o relatório, reduzir o número de infecções realizando mais programas de prevenção - como distribuição de camisinhas -, promevendo campanhas mais agressivas na mídia e desenvolvendo mais programas nas escolas. Além disso, o relatório aponta a necessidade de se investir bilhões de dólares no desenvolvimento de vacinas e pesquisas básicas na estrutura do vírus HIV. Outro objetivo destacado pelo documento deve ser um maior envolvimento de políticos no desenvolvimento de estratégias de combate ao vírus. "Enquanto nós ampliamos a pesquisa em outras áreas, como o desenvolvimento de vacinas, nós precisamos trabalhar com as técnicas de prevenção existentes", explica Helene Gayle, que também participou da elaboração do relatório.
 
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner