Rede dos Conselhos de Medicina
Convênio Imprimir E-mail
Qui, 08 de Agosto de 2002 21:00
Convênio CRM-ES e Tribunal de Justiça do ES Dispõe sobre convênio firmado por entre o e. Tribunal de Justiça e o Conselho Regional de Medicina do Espírito Santo. CONSELHO REGIONAL DE MEDICINA DO ESPÍRITO SANTO – CRM-ES, autarquia federal, instituída pelo decreto lei 7.955/45 e reorganizada pela Lei 3.268/57, por sua vez regulamentada pelo decreto 44.045/58, inscrita no CNPJ/MF sob o n.º 31.300.999/0001-18, com sede à rua Profª Emília Franklin Mululo, 228, Bento Ferreira, Ed. Dr. Alzir Bernardino Alves, Vitória/ES, neste ato devidamente Representado por seu presidente, Dr. WILDE DA SILVA NETO, médico, inscrito no CRM-ES sob o n.º 4147, e TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESPÍRITO SANTO, representado pelo seu Desembargador presidente Dr. Alemer Ferraz Moulin, firmam, o presente CONVÊNIO nos termos a seguir: Considerando que os Conselhos Federal e Regionais de Medicina, por terem como função precípua, a fiscalização do exercício ético-profissional e, para tanto, constituem um tribunal de Ética; Considerando que em razão de apurarem as denúncias éticas e aplicarem as penalidades cabíveis aos médicos, os CRM’s estão submetidos ao princípio da Imparcialidade; Considerando que vários magistrados solicitam ao CRM-ES a indicação de “um médico” para atuar como perito em processos judiciais; Considerando que o CRM-ES, pelas razões até aqui esposadas, não pode indicar um determinado médico para atuar como perito judicial; Considerando a necessidade de normatizar a questão; as partes resolvem, em comum acordo firmar o seguinte: Cláusula 1ª - os Juízos das diversas Comarcas do Estado do Espírito Santo que necessitarem de produção de prova médico-pericial poderão oficiar ao CRM-ES a fim de obterem a relação dos médicos com título(s) de especialidade(s) na(s) área(s) médica(s) respectiva(s) àquela(s), objeto constante da discussão na lide. Cláusula 2ª - Ao médico designado perito pelo juiz que aceitar o encargo, caberá indicar os honorários para realização da diligência, salvo nos casos cujos processos são beneficiados pela Assistência Judiciária Gratuita, fato este que deverá ser informado ao CRM-ES, no ofício referido no artigo anterior. Parágrafo Único – O médico que aceitar o ofício ficará sujeito ao que determina o parágrafo único, do inciso II, do art. 424 do Código de Processo civil. Cláusula 3ª - Nos casos de processos beneficiados pela Assistência Judiciária Gratuita, os médicos indicados pelo CRM-ES, são aqueles servidores lotados nas instituições públicas do Estado do Espírito Santo e seus municípios. Cláusula 4ª - As especialidades médicas são aquelas reconhecidas pelo Conselho Federal de Medicina, conforme Resolução CFM n.º 1634/2002. Comunicado O CRM e a Câmara Técnica de Psiquiatria do CRM-ES solicita aos médicos que ainda não efetuaram o seu devido registro no quadro de especialistas em Psiquiatria deste Regional, que procurem o Setor competente deste Conselho para que possa ser então efetuado. Alertamos aos colegas em relação ao teor do artigo 135 do Código de Ética Médica, que diz: “É vedado ao médico anunciar títulos científicos que não possa comprovar ou especialidade para a qual não esteja qualificado;” bem como do artigo 4º da resolução CFM n.º 1634/2002, que diz: “O médico só pode declarar vinculação com especialidade ou área de atuação quando for possuidor do título ou certificado a ele correspondente, devidamente registrado no Conselho Regional de Medicina.” Conselho Regional de Medicina do ES
 
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner