Escrito por Aucélio Melo de Gusmão*


A vida tornou-se altamente disputada, competitiva. Antes a cadência era diferente, as máquinas não determinavam produções seriadas, o mercado não era acelerado nem desperto com tanta veemência publicitariamente, O homem era mais valorizado, por representar a expressão máxima do trabalho.

As transformações foram imensas, e, para os grupos mais conservadores, até conflitantes, entre o econômico e filosófico.

Para as correntes mais avançadas dos países industrializados a exigência é de especial tratamento com o lado econômico, deixando a parte filosófica relegada a recordações históricas. Neste contexto, o desafio do cooperativismo, é de se mostrar competente na disputa, capaz de competir, adequando as teorias e princípios que o envolvem, estabelecendo uma nova discussão econômica, política, cultural, até ideológica. Não podemos é ficar à margem do mercado e sucumbir.

As correntes mais conservadoras pensam o inverso, os princípios e doutrinas tradicionais devam sempre, sobrepujar o econômico mesmo que questões importantes de estabilidade do sistema e seu êxito econômico claudiquem.

O nosso ponto de vista alberga grandes e corajosas inovações, sem sacrifício da essência do cooperativismo, afinal disputamos um mercado capitalista com uma proposta socializante. A isto chamamos de sistema sócio, econômico, cooperativo. Ético, sério, justo, honesto, competitivo, atual e de resultados.

Quando falamos, por exemplo, Unimed, não podemos deixar de associar ao conceito de empresa. Ora, empresa precisa, antes de mais nada, de um planejamento administrativo, onde não venha a ser colhida de surpresa ante ao mercado que disputa; enxergue efeitos danosos à sua vida ou de seus cooperados, antes dos fatos consagrados e irreversíveis; prepare-se para situações futuras e adapte-se às realidades atuais, sem que signifique relegar a magistral cultura cooperativista.

Com efeito, onde evidenciamos a necessidade de se evoluir no tempo e adaptar- se a novas circunstâncias, sentimos guardar o cooperativismo, a mais ampla e honesta afinidade para solução do problema. Nossos resultados recomendam! 

* Aucélio Melo de Gusmão é presidente da Unimed João Pessoa (PB)

 

* As opiniões, comentários e abordagens incluidas nos artigos publicados nesta seção são de inteira responsabilidade de seus autores e não expressam, necessariamente, o entendimento do Conselho Federal de Medicina (CFM).


 * Os textos para esta seção devem ser enviados para o e-mail imprensa@portalmedico.org.br, acompanhados de uma foto em pose formal, breve currículo do autor com seus dados de contato. Os artigos devem conter de 3000 a 5000 caracteres com espaço e título com, no máximo, 60.


* Os textos para esta seção devem ser enviados para o e-mail imprensa@portalmedico.org.br, acompanhados de uma foto em pose formal, breve currículo do autor com seus dados de contato. Os artigos devem conter de 3000 a 5000 caracteres com espaço e título com, no máximo, 60.
Aviso de Privacidade
Nós usamos cookies para melhorar sua experiência de navegação no portal. Ao utilizar o Portal Médico, você concorda com a política de monitoramento de cookies. Para ter mais informações sobre como isso é feito, acesse Política de cookies. Se você concorda, clique em ACEITO.