CRM-ES se solidariza com família da médica baleada ao sair de plantão e mantém cobrança por segurança Imprimir
Sex, 15 de Setembro de 2017 12:25

Triste, lamentável, revoltante e inaceitável a violência sofrida pela colega Milena Gottardi Tonini Frasson, ao sair do seu plantão médico, no Hospital Universitário Cassiano Antônio Moraes (Hucam), também conhecido como Hospital das Clínicas. A colega foi covardemente baleada.

A médica foi baleada ao sair do plantão no  Hospital Universitário Cassiano Antônio Moraes (foto: Ufes)O Conselho Regional de Medicina do Espírito Santo (CRM-ES) se solidariza com a família da médica e garante que manterá, mais do que nunca, a incansável luta, junto às demais entidades médicas capixabas, por segurança para o médico trabalhar. Há anos estamos à frente dessa batalha.

Insistentemente o CRM-ES denuncia a fragilidade do sistema de saúde, o que inclui a falta de segurança para todos: médicos, enfermeiros, pacientes e demais profissionais que atuam nas instituições de saúde. Por diversas vezes, o risco de um profissional médico sofrer violência como a ocorrida com a colega Milena foi alertado, não somente pelo Conselho de Medicina, mas pelo Sindicato dos Médicos e pela Associação Médica do Espírito Santo. Infelizmente, esta foi uma tragédia anunciada.

O CRM-ES, mais uma vez, se junta ao Sindicato da categoria e à Associação Médica para ecoar aos poderes públicos: “Até quando os médicos e os profissionais de saúde precisarão colocar a sua vida em risco para trabalhar?” Até quando?

Nossos sinceros desejos de melhora para a colega Milena e de força e fé para seus familiares.

 

Diretoria do CRM-ES