Rede dos Conselhos de Medicina
Tecnologia digital: Conselho estuda viabilidade de implantar eleições pela internet Imprimir E-mail
Seg, 10 de Fevereiro de 2020 16:03

eleicoes cfm1

Votações pela internet para escolha de representantes dos médicos nas eleições para os Conselhos Regionais de Medicina podem ser uma realidade em breve. O Conselho Federal de Medicina (CFM) estuda a viabilidade de realizar este tipo de votação nas próximas eleições do sistema conselhal.

“Começamos a avaliar esta possibilidade com bastante antecedência para garantir a segurança do processo”, informa o conselheiro Hideraldo Cabeça, 1º secretário do CFM, responsável por coordenar os estudos para implantação de votação pela web. No dia 4 (terça-feira), o tema foi tratado em reunião da qual participaram também Tatiana Bragança Della Giustina (2ª secretária); José Hiran Gallo (tesoureiro); Gleidson Porto (coordenador de Informática); e Allan Cotrim, representante da Coordenação Jurídica.

Para Hiran Gallo, a informatização das eleições trará economia para o sistema conselhal. “Nas últimas eleições tivemos despesas consideráveis com correios e pessoal. O uso da internet permitirá redução significativa dos custos globais, argumenta.

Agilidade - Em sua avaliação, essa mudança trará mais agilidade ao processo eleitoral, sem que a segurança seja prejudicada. “

Explica ainda, que serão licitadas uma empresa para o processo eleitoral, e outra para realizar a auditoria “, adiantou.

Na eleição pela internet, o eleitor deverá receber uma senha por e-mail (pessoal e intransferível) a ser utilizada no momento da votação. As eleições nessa modalidade já são realidade nos Conselhos Federais de: Administração (CFA), Contabilidade, Psicologia e Enfermagem.

“Há uma enorme demanda dos médicos para que adotemos eleições via internet, explica. O CFM iniciou o processo de avaliação da tecnologia, segurança, tempo de implantação, projeto, custo e aplicabilidade. Finalizada essa etapa, um relatório será apresentado para orientar futuras deliberações, que deverão ser avaliadas pelo plenário da autarquia.

 
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner