Rede dos Conselhos de Medicina
Associação de Médicos Maçons repudia declaração do ministro da Saúde sobre médicos no SUS Imprimir E-mail
Qua, 19 de Julho de 2017 18:32

Em manifestação publicada após a declaração do ministro da Saúde, Ricardo Barros, sobre os médicos que atuam nos serviços de saúde pública, a Associação de Médicos Maçons declarou repúdio às manifestações do chefe da pasta. Leia abaixo a manifestação da entidade.

 

Nota de Repúdio – AMEM-Brasil


 A AMEM-Brasil – Associação de Médicos Maçons vem a público manifestar seu repúdio às manifestações do Ministro da Saúde Ricardo Barros, referente ao trabalho dos profissionais médicos que trabalham na saúde pública.
 
 Engenheiro Civil de profissão, defensor do “Programa Mais Médicos”, dos médicos cubanos e médicos formados no exterior sem o exame de avaliação profissional “Revalida”, agora Ministro da Saúde devido acordos políticos partidários, evidencia seu despreparo para a pasta que administra ao se manifestar em temas que, aparentemente, desconhece.
 
 A Saúde Pública é um problema crônico no Brasil e assim considerada como um dos principais problemas das últimas administrações. Quando justificativas são oriundas dos órgãos responsáveis, é comum observar exposições atenuantes de verdades veladas que minimizam a gravidade da realidade, levando-nos acreditar que a solução é simples e de fácil execução.
 
Seguramente, o caos da Saúde brasileira, exposto na realidade dos Hospitais sucateados, na eliminação de milhares de leitos hospitalares a título de economia, na falta de um plano de carreira para os médicos e de seus baixos salários, dos valores pífios e irrisórios pagos pelo SUS às Instituições, além do despreparo dos profissionais formados pela inadvertida abertura de inúmeras Faculdades de Medicina, sem a capacidade mínima de formação ideal destes profissionais, somado uma campanha sistemática de formação de opinião popular o médico é a responsável pelos problemas da Saúde no Brasil, é a expressão do descaso e abandono do setor nas últimas administrações.
 
O território da política nacional sofre as consequências de um abalo sísmico de elevada intensidade e grandes proporções, com origem na malversação do erário em detrimento da lei, da moral e do desenvolvimento sustentável.
 
Desejamos que o atual Ministro da Saúde reveja sua posição, publicamente, e se assessore de profissionais técnicos competentes e conhecedores da realidade da Saúde Pública do Brasil, evitando, assim, enganos em suas manifestações.
 
 
 
Fonte: AMEM-Brasil

 
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner