Rede dos Conselhos de Medicina
Selecione o Conselho que deseja acessar:
Ato no Rio de Janeiro mobiliza população para o desaparecimento de crianças Imprimir E-mail
Seg, 13 de Março de 2017 10:44
Crédito da Foto: Agência BrasilUm ato promovido neste domingo (12) no Rio de Janeiro buscou mobilizar a população para um drama que afeta milhares de famílias no país. Estima-se que existam cerca de 250 mil crianças e adolescentes desaparecidos no Brasil. A iniciativa da ação foi do Conselho Federal de Medicina (CFM), do Conselho Regional de Medicina do Estado do Rio de Janeiro (Cremerj) e da Sociedade Brasileira de Pediatria. A atividade fez parte da Semana de Mobilização Nacional para Busca e Defesa da Criança Desaparecida.
 
Os dados chamaram atenção não só da população e frequentadores do Posto 4 da Praia de Copacabana, mas também da imprensa nacional. Em entrevista com a Agência Brasil, o integrante da Comissão de Ações Sociais do CFM, Ricardo Paiva, disse que uma das reivindicações das entidades é para que o cadastro nacional de desaparecimentos realmente funcione. (acesse aqui a reportagem completa) Já o jornal Estado de Minas destacou que uma das reivindicações das entidades médicas é para que todos os boletins de ocorrência com registro de desaparecimento de crianças e adolescentes sejam notificados obrigatoriamente ao Ministério da Justiça. (acesse aqui a reportagem completa)
 
Os médicos divulgaram informações de como evitar um desaparecimento de criança e adolescente. Foram repassados ainda alertas sobre medidas que contribuem para a prevenção ao problema. “Existe a Lei da Busca Imediata [Lei nº11.259/2005] que nem a polícia sabe que existe. Não precisa esperar 48 horas, é para começar a busca na hora [em que for notificado o desaparecimento de criança ou de adolescente]. Esse tema é doloroso, mas existem recomendações de como evitar e de como proceder se ocorrer o desaparecimento”, explicou Paiva.
 
Alerta - Durante o ato, a Comissão de Ações Sociais do CFM chamou atenção para números alarmantes: em 2016 o estado do Rio de Janeiro registrou 5.904 desaparecimentos de pessoas. Destes, estima-se que 75% são do sexo masculino e cerca de 20% são menores de 18 anos, segundo dados do Programa de Localização e Identificação de Desaparecidos do Ministério Público do RJ.
 
“Muitas dessas crianças vão parar em trabalho escravo, adoção ilegal e exploração sexual de menores”, disse o presidente do Cremerj, Nelson Nahon. “É uma semana de conscientização e de alerta para medidas preventivas: por exemplo, que os pais coloquem pulseiras de identificação nas crianças quando vão à praia e a eventos”.
 
A atividade contou também com o apoio também da Sociedade de Pediatria do Rio de Janeiro (Soperj) e da Associação Médica do Estado do Rio de Janeiro (Somerj), além da Fundação para Infância e Adolescência, vinculada à Secretaria de Estado de Ciência e Tecnologia, Inovação e Desenvolvimento Social do Estado do Rio de Janeiro.
 
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner

© PORTAL MÉDICO 2010 - o site do Conselho Federal de Medicina -Todos os direitos reservados
SGAS 915 Lote 72 | CEP: 70390-150 | Brasí­lia-DF | FONE: (61) 3445 5900 | FAX: (61) 3346 0231| E-mail: cfm@portalmedico.org.br | CNPJ: 33.583.550/0001-30